Rafeiro alentejano

rafeiro alentejano

Quais são os problemas do rafeiro alentejano?

Há semelhança do que acontece com outras raças rústicas, o Rafeiro Alentejano é um cão saudável. Todavia, é afectado pelos problemas típicos dos cães de grande porte, designadamente pela displasia da anca e dos cotovelos.

Quem é o rafeiro do Alentejo?

Também conhecido como Mastim Português ou Mastim do Alentejo, o Rafeiro do Alentejo é uma raça originária da região alentejana de Portugal, onde tinha a função de cão de guarda de rebanhos bovinos. Como a maioria dos mulossos europeus, acredita-se que tenha descendido dos cães corpulentos do Ribanejo ou do Tibete.

Como é o pescoço do rafeiro alentejano?

O pescoço do Rafeiro Alentejano é direito, curto, bem ligado, forte e com barbela regular e simples no sentido longitudinal. Apresenta um pescoço adequado à sua corpulência. O seu peito é ligeiramente menos do que metade da altura do garrote, sendo este largo e bem descido.

Qual é a origem dos cães rafeiro do Alentejo?

Os cães da raça Rafeiro do Alentejo são cães portugueses que poderão ter tido a sua origem em Molossos provenientes da região da Ásia Menor. Tendo em consideração o seu tamanho e coragem, acredita-se que foi utilizado pelas tribos que criavam rebanhos como forma de subsistência.

Quais são as características do rafeiro alentejano?

Um dono responsável socializa e educa o cão desde o início. É preciso mostrar com clareza quem manda e onde estão os limites. Porém, ao mesmo tempo o dono também tem que aceitar que este patudo precisa da sua liberdade. Um Rafeiro Alentejano certamente nunca será um bom cão de colo.

Qual a raça do rafeiro do Alentejo?

O rafeiro do Alentejo é uma das maiores raças portuguesas e das mais bonitas. As fêmeas têm entre 64 a 70 cm e os machos vão desde os 66 até aos 74 cm. O peso varia em torno entre os 35 e os 45 kg nas fêmeas e entre os 40 e os 50 kg nos machos.

Como é o pescoço do rafeiro alentejano?

O pescoço do Rafeiro Alentejano é direito, curto, bem ligado, forte e com barbela regular e simples no sentido longitudinal. Apresenta um pescoço adequado à sua corpulência. O seu peito é ligeiramente menos do que metade da altura do garrote, sendo este largo e bem descido.

Qual é a origem dos cães rafeiro do Alentejo?

Os cães da raça Rafeiro do Alentejo são cães portugueses que poderão ter tido a sua origem em Molossos provenientes da região da Ásia Menor. Tendo em consideração o seu tamanho e coragem, acredita-se que foi utilizado pelas tribos que criavam rebanhos como forma de subsistência.

Quais são as características do rafeiro alentejano?

Um dono responsável socializa e educa o cão desde o início. É preciso mostrar com clareza quem manda e onde estão os limites. Porém, ao mesmo tempo o dono também tem que aceitar que este patudo precisa da sua liberdade. Um Rafeiro Alentejano certamente nunca será um bom cão de colo.

Qual é a raça do rafeiro do Alentejo?

O nome “Rafeiro do Alentejo” é usado desde o século XIX e possivelmente foi atribuído pela população local, por ser um cão comum naquela região. Sua estrutura lembra a de um São Bernardo, porém sua cabeça se assemelha à de um urso. Um exemplar da raça pode medir até 74 centímetros e pesar 60 quilos.

Qual é a origem dos cães rafeiro do Alentejo?

Os cães da raça Rafeiro do Alentejo são cães portugueses que poderão ter tido a sua origem em Molossos provenientes da região da Ásia Menor. Tendo em consideração o seu tamanho e coragem, acredita-se que foi utilizado pelas tribos que criavam rebanhos como forma de subsistência.

Como foi o reconhecimento da raça alentejana?

O reconhecimento da raça pela Federação Cinológica Internacional (FCI), ocorrido em 1967, foi possível graças ao trabalho de António Cabral e de Filipe Romeiras, que identificaram o número de Rafeiros Alentejanos presentes na região e delinearam o estalão da raça.

Postagens relacionadas: